Dessa vez, eles bateram um recorde impressionante: foram capazes de capturar cerca de 330 terabytes (o equivalente a 330 mil gigabytes) em um cartucho de fita que cabe na palma da mão. Todas as informações são do TECMUNDO.

Para isso, os pesquisadores da IBM utilizaram uma fita magnética capas de armazenar 201 GB de informação em um espaço de uma polegada quadrada, ou 6,45 cm². Isso significa que o material é capaz de conter 20 vezes mais dados digitais do que os dispositivos de armazenamento por fita magnética usados comercialmente hoje em dia. O cartucho que quebrou recordes foi fabricado em parceria com a Sony.

Avanço a passos largos

Isso serve como prova que ainda é possível aumentar muito a densidade de gravação de dados em fitas

A título de comparação, os primeiros drives de fita criados pela IBM há cerca de 60 anos tinham meia polegada de espessura e continham nada mais que 2 MB, uma quantidade 165 milhões de vezes menor que o novo drive criado pela empresa. Isso serve como prova que ainda é possível aumentar muito a densidade de gravação de dados em fitas, ou seja, a quantidade de informação que é registrada em uma certa área do material.

Confira a seguir um curto vídeo (em inglês) que mostra um pouco mais do processo que gerou essa imensa capacidade de armazenamento de dados digitais: